O que é comunicação?

A comunicação pode ser considerada o processo social básico, primário, porque é ela que torna possível a própria vida em sociedade. Vida em sociedade significa intercâmbio. E todo intercâmbio entre os seres humanos só se realiza por meio da comunicação. A comunicação preside, rege, todas as relações humanas. O que é produzido e vendido pela comunicação? Uma mercadoria cada vez mais valiosa, apesar de imaterial: informação, ou seja, notícias, dados, ideias, conhecimento, ficção, cultura, arte.

O Conceito

É uma dessas coisas que todo mundo sabe o que é mas ninguém consegue definir com precisão. Ato de comunicar algo ou de comunicar-se (com alguém). O verbo vem do latim communicare, que significa participar, fazer, saber, tornar comum. Quando eu comunico alguma coisa a alguém essa coisa se torna comum a ambos. Quando se publica uma notícia ela passa a fazer parte da comunidade. Comunicação, comunhão, comunidade são palavras que têm a mesma raiz e estão relacionadas à mesma ideia de algo compartilhado.

A etimologia da palavra sugere que se trate de um conceito eminentemente social na sua origem. Assim sendo, em primeiro lugar diz respeito ao homem. Em segundo lugar, trata-se de um fenômeno concreto, objetivo, que ocorre quando um ser A transfere uma informação a um ser B. Em terceiro lugar, a comunicação seria um processo ativo, ou seja, envolve na sua essência um propósito, que é o de se influenciar outro ser, modificar seu comportamento, obter uma resposta.

Em quarto lugar, a tendência da relação comunicativa a se fechar em círculo, ou mais propriamente a evoluir segundo um espiral de influências.

Mas o termo comunicação, com o tempo, perdeu toda a nitidez conceitual e adquiriu significados muito amplos e variados. Pode se aplicar o termo hoje a tudo o que signifique contato, ligação, relação, união, passagem, além de diálogo, entendimento, contágio e convívio.

Chamar o elevador é comunicação? Fazer contas na máquina de calcular é comunicação? Será que nos comunicamos com o computador e ele conosco?

Bom, a comunicação se realiza em três etapas:

EMISSÃO – TRANSMISSÃO – RECEPÇÃO

Comunicação e Interpretação

Parte-se da premissa de que nem tudo é comunicação. Em função deste critério, é importante, logo de início, distinguir comunicação de falsas situações de comunicação. Exemplo:

Um menino perdido na floresta. De repente ele vê o céu escurecer, relâmpagos, trovões, e conclui que vai cair um toró na sua cabeça. Essa mudança meteorológica a que ele assiste é uma situação de comunicação? Se for, quem seria o emissor? A natureza? Não! A natureza não tem um propósito, para a racionalidade do homem, de ter o propósito de passar uma informação. Agora suponhamos que o menino chega diante de um vale e vê fumaça de uma chaminé ao longe, concluindo que está salvo: também não se trata de comunicação, pelo mesmo motivo.

Pessoas cozinhando o almoço na sua casa não podem ser consideradas emissores e alguma mensagem endereçada ao garoto perdido. Suponhamos agora que o menino faça uma fogueira para sinalizar sua presença. Isso é comunicação? Neste caso temos o emissor e a mensagem, mas falta ainda o receptor. Depende, pois, de que a fumaça seja vista e interpretada como pedido de socorro, porque se um helicóptero da polícia sobrevoar o local e seus ocupantes acharem que se trata apenas de mais um foco de incêndio, não se efetivou a comunicação.

O exemplo anterior é o contrário de placas que limitam a velocidade, por exemplo, que indicam curvas à direita ou à esquerda e alertam para a proximidade de um posto de pedágio – exemplos claros de comunicação visual.

É difícil saber se o comportamento humano é intencional ou não, mesmo que, segundo a psicanálise, existem as intenções inconscientes. Por isso é preciso classificar tudo o que o homem faz em sociedade. Até mesmo o silêncio, é comunicação. Pode significar concordância, indiferença, desprezo, etc.

MODELOS DE COMUNICAÇÃO

O modelo mais geral e mais simples de comunicação seria:

EMISSOR > MENSAGEM > RECEPTOR

EMISSOR – qualquer ser capaz de produzir e transmitir uma mensagem.

MENSAGEM – qualquer coisa que o emissor envie com a finalidade de passar informações

RECEPTOR – qualquer ser capaz de receber e interpretar essa mensagem.

Toda comunicação contém esses três elementos. Se falta o emissor ou o receptor, pode-se pelo menos questionar se estamos diante de um legítimo processo de comunicação.

TIPOS DE COMUNICAÇÃO HUMANA

Classificação 1

Existe a comunicação do dia-a-dia, a comunicação ESPONTÂNEA informal entre as pessoas, através da fala, do gesto, do telefonema, da carta. E existe a comunicação PROFISSIONAL. A atividade do jornalista, do publicitário, do desenhista, escritor, fotógrafo. A diferença é que a ÚLTIMA exige aprendizado técnico e teórico. Há 4 formas distintas de comunicação PROFISSIONAL no mercado. Elas se distinguem pela finalidade, pelos objetivos.

– Comunicação persuasiva – representada pela propaganda, pela publicidade, pelo discurso político. Seu objetivo é persuadir, convencer, vender uma ideia.

– Comunicação artístico-cultural – representada pelo cinema, teatro, novela, rádio, show, circo, folclore. O objetivo é o entretenimento, a cultura e a arte. Literatura, poesia, pintura, escultura e todas as artes tradicionais.

– Comunicação Jornalística – representada pelo jornal, revista, TV, rádio, pelas agências de notícias. O objetivo é informar o que acontece, de acordo com o critério público do fato.

– Comunicação educativa – representada pelos livros didáticos, pelos telecursos, pelas aulas, palestras, cursos de línguas. O objetivo é ensinar, transmitir conhecimento.

Classificação 2

Segundo o órgão sensorial usado pelo receptor para capturar a mensagem, existe, naturalmente, 5 categorias de comunicação humana:

Comunicação visual – sinalização de trânsito, rodoviária, ferroviária, marítima, aeroviária, escrita, gestos, desenho, propaganda, fotografia, pintura, escultura.

Comunicação sonora (ou auditiva) – fala, música, cornetas, apitos, sinos, buzinas, alarmes, aplausos, gritos, vaias.

Comunicação tátil – escrita braile, aperto de mãos, abraços, beijos.

Comunicação olfativa – odores (perfume) na função de mensagens. É mais usada pelos animais.

Comunicação gustativa – sabores como mensagens (oferecer à namorada bombons de chocolate prediletos).

A SONORA é a mais prática, econômica e fácil. Especialmente por meio da fala, que não requer instrumento artificial algum, utiliza apenas o aparelho vocal humano. Mas vantajosa mesmo, no entanto, é a combinação da visual com a sonora, para forma a poderosa comunicação audiovisual (cinema, TV, show).

Classificação 3

Segundo a quantidade de pessoas envolvidas no processo da comunicação, desde a menor até a maior, a comunicação humana pode ser:

Intrapessoal – quando uma pessoa se comunica consigo mesma (agenda, diário, lembrete na porta do quarto).

Interpessoal – quando a pessoa se comunica com outra (conversa entre dois colegas).

Intergrupal – quando as mensagens circulam entre grupos (turmas de alunos, bancadas de partidos, nações).

Intragrupal – quando as mensagens circulam dentro de um grupo (alunos elegendo o representante de turma).

COMUNICAÇÃO de MASSA – quando as mensagens são dirigidas ao grande público por meio do rádio, TV, cinema, jornal, revista. É a mais ampla porque pode atingir simultaneamente até bilhões de pessoas nos mais diferentes pontos do Mundo (nas Olimpíadas, Copa do Mundo).

Classificação 4

A comunicação humana pode ser direta – emissor e receptor de frente um para o outro e indireta, quando o emissor está distante do receptor e precisa usar um meio artificial (carta, telefone, e-mail, rádio, televisão) para alcançá-lo.

Classificação 5

Para que haja comunicação, evidentemente não é preciso que o receptor responda ao emissor, ou seja, que exista uma troca de mensagens. Você pode mandar uma carta, um e-mail, e não obter resposta. Quando a comunicação é de mão única, ou pelo menos quando o emissor emite muito mais do que recebe (um general falando à tropa) temos a comunicação unidirecional. Pelo contrário, a comunicação bidirecional é aquela de mão dupla, em que a participação do emissor e do receptor é mais ou menos equivalente (conversa, reunião, debate).

Classificação 6

A comunicação humana pode ser dividida em particular ou fechada (entre namorados, por exemplo), e pública, ou aberta (comício na praça, televisão).

Fonte: Curso básico de Teoria da comunicação
José Haroldo Pereira
Ed. Universidade, Rio de Janeiro, RJ: 3ª. ed. 2005

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *